Nossa Primeira Fronteira: Chuí/Chuy | Casei sem Casa

escrito por Gabriel Toledo 18 de março de 2019
Nossa Primeira Fronteira: Chuí/Chuy | Casei sem Casa

Photo by Agus Dietrich on Unsplash

A passagem pela nossa primeira fronteira, os documentos necessários (como Seguro Carta Verde) e as regras para entrar no Uruguai.

Partimos da cidade de  Rio Grande, estado do Rio Grande do Sul, rumo a nossa primeira fronteira. Estávamos animados, muito ansiosos e apreensivos, afinal, sempre dá aquele friozinho na barriga quando temos que entrar em um novo país. Percorremos cerca de 3 horas até chegarmos a Chuí. Passamos pela Aduana Brasileira e lá nós não precisamos fazer nenhum procedimento para a saída do Brasil, portanto, não se assuste, passe direto e siga até a cidade.

Decidimos parar em um posto de combustível na entrada do município e fizemos nosso almoço. Logo depois, gastamos cerca de duas horas para fazer os câmbios e procurar um Seguro Carta Verde (que vou explicar daqui a pouco). Aproveitamos para encher o tanque de combustível da Scarlet, pois sabíamos que os preços depois da fronteira podem quase duplicar.

Existem várias casas de câmbio pelas ruas e muitos lugares fazendo o Seguro Carta Verde, portanto pesquise os preços do seguro, pois você pode economizar até 200 reais para 6 meses, por exemplo.

Tivemos um choque ao chegar à cidade, pois esperávamos uma realidade um pouco diferente. Chuí é bem simples, é como uma zona livre para uruguaios e brasileiros andarem sem necessidade de fazer qualquer trâmite legal nas aduanas. Para se ter uma ideia, os uruguaios aproveitam para comprar ali produtos para vender nas feiras de grandes cidades como Punta Del Este e Montevidéu.

 A Divisa de um país com o outro se resume a uma avenida, que tem dois sentidos. Um deles nomeado Avenida Uruguai e o outro Avenida Brasil, ou seja, de um lado é Chuí (Brasil) e do outro Chuy (Uruguay). Sim, essa é a fronteira. As cidades são como um único município que de um lado se fala a língua portuguesa e do outro a espanhola e as culturas e povos se misturam.

Enfim, pegamos a rua principal e seguimos até a Aduana. Para isso tomamos alguns cuidados, pois existem regras e restrições para a entrada no Uruguai:

Seguro Carta verde.

Esse seguro é obrigatório no Uruguai, Argentina e Paraguai. Ele cobre danos a terceiros, tanto materiais como por morte. Ele atua para beneficiar o cidadão do país  que você está visitando. Para comprar o seguro você deve confirmar o número de dias que precisará do serviço. Os valores de pacotes são divididos com base nos dias que você o usará: até 15 dias, de 16 a 30 dias, de 31 a 45 dias e depois até um ano. Pesquise, pois existem vários agentes de seguro cobrando taxas extras como o repasse do custo das folhas verdes, que são mais caras do que as brancas. 

RG ou Passaporte

Para entrar nos países do Mercosul é necessário apenas RG, podendo também fazer uso do Passaporte. Se entrar com RG eles te darão um papel de registro da sua entrada legal no país, não o perca, guarde em local seguro e acessível, pois deverá apresentar caso algum policial peça, por exemplo. Se entrar com passaporte, ele será carimbado e você deve tomar os mesmos cuidados citados acima.

Documento do Veículo

Não é possível passar a fronteira sem este documento. É ideal que o veículo esteja em seu nome. Caso seja alugado, a empresa deve te entregar um documento de autorização para tráfego de veículo fora do território nacional que permitirá sua entrada no país com um automóvel que não é de sua posse. Se for de outro dono, como parente ou de alguma empresa, mesmo que ela seja de algum dos viajantes, por exemplo, deve ser feito o mesmo.

Restrições Alfandegárias.

Nos orientamos por essas informações: As autoridades aduaneiras do Uruguai podem reforçar estritamente a importação ou exportação de itens como joias, ouro, pornografia, itens inflamáveis, ácidos, medicamentos, plantas, sementes e produtos de origem vegetal. Materiais considerados subversivos pelas autoridades locais, como publicações que incentivem ou promovam a anarquia, o genocídio ou crimes em geral podem ser confiscados.”

LEIA MAIS NO SITE DO ITAMARATY

Chegamos até a Aduana Uruguaia, encostamos o carro e fomos até a área de atendimento. Os policiais que lá se encontravam foram solícitos e nos indicaram onde ir, sem que tivéssemos que perguntar. Mostramos nossos documentos, meu passaporte foi carimbado e entregaram um documento para a Julia comprovando a entrada dela no país, já que apresentou o RG como documento de registro.

Voltamos para o carro e entramos em uma fila. Achei que seriamos revistados, já que nosso carro é grande e cheio de compartimentos, mas acabamos passando direto. O agente pediu apenas nossos documentos, os do carro e o Seguro Carta Verde. 

Entramos no país sem problema algum. A estrada em território uruguaio é ótima e bem sinalizada. Existem várias entradas para praias e muitas delas são lindas, pesquise antes de ir. E como dica, faça a fronteira bem cedo e gaste um bom tempo no Parque de Santa Tereza, aproximadamente 40 km da fronteira, a esquerda.  Se precisar de hospedagem em Chuí, use nossso link do Booking.com, lá existem várias opções de hospedagem, com avaliação de muitos outros viajantes. No parque existem muitas praias de banho lindas, sem sequer uma construção para atrapalhar o visual.

Booking.com